Onde está (e qual é) o Brasil que cresce



O IBGE divulga hoje as estimativas das populações residentes nos 5.570 municípios brasileiros, com referência em 1º de julho de 2020, quando a população chegou a 211,8 milhões de habitantes, crescendo 0,77% em relação a 2019.

São Paulo continua sendo a cidade mais populosa, com 12,3 milhões de habitantes, depois vem o Rio de Janeiro, com 6,75 milhões, Brasília (3,05 milhões) e Salvador (2,88 milhões).


1 de cada 4 cidade do país perdeu população, 1 a cada 2 cresceu até 1% e apenas 205 cidades (3,7% do país) apresentaram crescimento acima de 2%.


Com relação ao crescimento, as micro-regiões do Centro-Oeste e Nordeste concentram as maiores taxas de crescimento, com o entorno da capital de Boa Vista (RR) com 5% ao ano.

Em seguida aparecem as regiões de Alto Teles Pires (MT), com 2,8% ao ano, Primavera do Leste (MT), com 2,6% e Rio Preto da Eva (AM), com 2,4% ao ano. Já na região Sul, quase a metade (46%) das cidades perdeu população, com destaque também para o nordeste de Minas Gerais e sul da Bahia.


O conjunto dos municípios das capitais apresentou taxa de crescimento geométrico de 0,84%, acima da taxa do país (0,77%), com as cidades no entorno das capitais puxando esta média para cima, como podemos constatar no mapa acima.


DISTRIBUIÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA E DOS MUNICÍPIOS, SEGUNDO GRUPOS DE TAMANHO DE MUNICÍPIOS


22% da população do país está concentrada nos 17 municípios com mais de 1 milhão de habitantes, sendo que 80% destes são capitais. Em comparação a 2010, 2 novas cidades passaram a contar com este porte, São Gonçalo e Maceió. Similarmente eram 38 municípios em 2010 com população acima de 500 mil pessoas, subindo para 49 em 2020. As 11 cidades que passaram a fazer parte desde grupo foram Aparecida de Goiânia (com crescimento de 2,62% ao ano), Londrina, Porto Velho, Ananindeua, Serra, Caxias do Sul, Niterói, Belford Roxo, Macapá, Campos dos Goytacazes, Florianópolis e Vila Velha.


Pensando nas capitais, 24% da população do país encontra-se nelas. A região metropolitana de São Paulo, a maior do País, chegou a 21,9 milhões de habitantes, em seguida vem a do Rio de Janeiro, com quase 60% da RMSP (13,1 milhões) e Belo Horizonte (6,0 milhões). Quanto maior a região metropolitana, menor a taxa apresentada, comparativamente entre elas.


DISTRIBUIÇÃO DOS MUNICÍPIOS SEGUNDO NUMERO DE HABITANTES E TAXA GEOMÉTRICA DE CRESCIMENTO (2019-2020)


As cidades até 20 mil habitantes apresentaram menor crescimento do que a média do país, já aquelas acima de 100 mil e até um milhão de habitantes concentraram a maior quantidade de cidades com crescimento superior a 1%. Cidades acima de 1 milhão de habitantes cresceram um pouco menos.


As estimativas populacionais por município do IBGE são utilizados pelo TCU (Tribunal de Contas da União) para o pagamento do repasse do Fundo de Participação de Estados e Municípios e servem como referência para vários indicadores sociais, econômicos e demográficos.


Em momentos de incerteza, como o atual, as empresas buscam otimizar suas operações, seja para crescer, ou mesmo rentabilizar a operação atual, sendo que conhecer ONDE está seu cliente e PARA ONDE o mercado caminha é essencial para atingir a estes objetivos. E saber quais cidades crescem (ou não) é o primeiro dos passos neste sentido.


Quer saber a população em sua cidade?


Acesse os dados no link abaixo:

https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9103-estimativas-de-populacao.html?edicao=28674&t=resultados


#ibge #estimativapopulação #potencialdemercado #inteligênciademercado #marketintelligence #geomarketing #populaçãobrasil #sociodemografia

44 visualizações

Entre em contato